screen-shot-2017-03-27-at-06-26-01

Eu tenho plena convicção do poder transformador do design e me arrepio de ver soluções como esta sendo criadas no Brasil e conquistando o mundo. O Lauro Cuevas é um químico brasileiro que já tinha 10 anos de pesquisa na separação do óleo e que colaborou nos últimos dois anos com a Olivia Yassudo Faria e seu Coletivo Amor de Madre para ajustar e melhorar o produto bem como para pensar em como levar para o mercado.

Assim nasceu o projeto Fohm.Life que é uma solução simples, de baixo custo e que despolui a água. De forma mais objetiva, é uma espuma capaz de absorver óleos vegetais ou minerais e, consequentemente, facilitar, a separação dos dois elementos. Ele resolve todos os níveis de poluição de hidrocarbonetos com lixo orgânico. Ou seja, tem potencial para ajudar a limpar rios e mares contaminados.

img_3345_cortada

A convite do Coletivo Amor de Madre, o Atelier Marko Brajovic criou instalação que lança a invenção na Design Days Dubai. Naturalmente o projeto chamou a atenção das empresas de petróleo, que se interessaram e já abriram negociações para incorporar a solução.

Agora o Coletivo vem focando em desenvolver uma solução doméstica que consiste em um filtro para o ralo da cozinha. Assim qualquer um pode lavar sua panela que sempre tem óleo sem culpa e sem poluir o sistema de água.

A Fohm.Life virá para o Brasil onde poderá ser testada em exposições e universidades antes de efetivamente ser comercializada. Vale a pena conhecer mais a fundo o projeto aqui.

Fohm.Life from coletivoamordemadre on Vimeo.

BikesvsCarros

No próximo dia 13, sábado, haverá uma projeção do filme Bikes vs Carros de Fredrik Gertten a céu aberto na parte externa do Auditório do Parque do Ibirapuera. O documentário distribuído pela Maria Farinha Filmes mostra como a indústria automobilística influencia nas políticas públicas das cidades e como a bicicleta começa a mudar a cena. Gravado em São Paulo, Los Angeles, Toronto e Copenhague, o filme mostra realidades completamente diferentes, desde a luta por incluir o uso da bicicleta no dia a dia das pessoas em São Paulo até Copenhague, cidade que é referência internacional em mobilidade urbana. A projeção começa às 18h30 e contará com a presença do diretor. Confiram abaixo o trailer:

Para quem se interessar vai rolar, antes disso, às 15h30, uma pedalada especial do Bike Anjo pelo centro histórico. As inscrições devem ser feitas aqui.

BikeFest

O Bike Festival foi criado em setembro de 2013 em Bento Gonçalves com o objetivo de incentivar a população para aderir a um estilo de vida saudável, aliando a utilização da bicicleta como meio de transporte e lazer alternativo.  Naquele ano, o primeiro festival da Serra Gaúcha, que reuniu em um único evento música, arte e bicicleta, conquistou a primeira ciclofaixa para a cidade. Na edição deste ano, programada para o segundo semestre, a tecnologia entra como quarto pilar. Em 2014 surgiu também a versão pocket do festival, o Bike Fest, um evento co-criado pelos participantes e que reuniu música, gastronomia e bicicleta na praça São Bento, também em Bento Gonçalves.

A proposta do Bike Festival é levar a cultura de bike através de um evento que não apenas atrai os amantes
de bicicleta, mas também aqueles que curtem arte, tecnologia e música. E a ideia é levar o projeto para outras praças, como SP e BH. Abaixo um vídeo que apresenta o projeto:

EdibleGarden

O time de beisebol norte-americano San Francisco Giants inaugurou no ano passado uma  horta de 4.320 metros quadrados, atrás da parede da parte exterior do campo no qual cultiva de forma sustentável frutas, legumes, verduras e flores.

A iniciativa faz parte de uma ideia de disseminar informação e educar a comunidade sobre os benefícios de um estilo de vida saudável. Os torcedores podem comer comidas preparadas com os alimentos da horta, em uma parceria com a Bon Appétit, pioneira no políticas de abastecimento ambientalmente saudáveis nos Estados Unidos.

Além disso a horta serve como sala de aula de culinária e nutrição para as crianças da comunidade.

arvoreqsente

Para sensibilizar as crianças sobre as mudanças climáticas e os altos índices de poluição e marcar a Semana Nacional de Conscientização sobre as Mudanças Climáticas, a Y&R desenvolveu uma ação na última quarta feira no Minhocão, em São Paulo. Entre 21h30 e 23hs as árvores receberam projeções. Foram projetados vídeos em 3D que revelaram expressões faciais de acordo com os índices de poluição. Como ainda não tem videocase, ilustro com uma reportagem. Confiram:

 

 

A Nike lançou no último dia 30 o seu sistema Nike+ Kinect Training. O programa criado em parceria com a AKQA custa US$ 49,99 e tem como objetivo ajudar a colocar as pessoas em forma.

Usando o Kinect, o game consegue ver como o corpo se move, avaliar a força física e a capacidade atlética, identificar áreas de melhoria e criar um plano de treino personalizado sob medida para cada pessoa. As pessoas recebem avaliações mensais e podem ‘malhar com amigos’ através do Xbox Live. Confiram detalhes no site e no vídeo abaixo:

Como parte do Pedal Minnesota, uma iniciativa para promover o ciclismo e o uso da bicicleta no cotidiano do estado, a agência Colle + McVoy criou uma série de iniciativas interessantes. Entre elas a transformação de abrigos de ônibus em estações de cuidados com a bicicleta, com ferramentas, suportes e um compressor de ar elétricos. Mecânicos de bicicletas fazem ponto nestes locais aos finais de semana para ajudar com os reparos. A campanha é complementada ainda com peças de mídia exterior, um site e o filme que vocês conferem abaixo:

É bem interessante o projeto de economia de energia da agência W+K de Londres. A proposta é reduzir o consumo da agência e, com a economia gerada, iluminar a vida de crianças em uma escola no Quênia. A meta é reduzir o consumo de energia do escritório  em até 10% ao longo do ano, poupando dinheiro suficiente para acender quatro salas de aula e uma cozinha na escola com painéis solares (em parceria com a ONG SolarAid).


O projeto também tem um gatilho interessante para a mobilização das pessoas através de um apelo de norma social (como alguns cases que foram mencionados no TEDxAM este ano). Os descansos de tela mostram aos empregados quanto de energia eles estão usando em tempo real. Leiam mais sobre o projeto aqui.

A agência Akestam Holst lançou o Emotions Barometer, um site que mede a temperatura emocional do país como um projeto para a Folksam, uma das maiores empresas de seguros da Suécia. O site apresenta um jogo de 20 perguntas para o visitante e traduz essa informação em emoções, representando todo o país. Ele também fornece aos usuários uma ideia de outras pessoas que compartilham suas paixões, assim como links para suas áreas de interesse. O projeto é bacana mas parece muito com o Emotional Cities, mais bem resolvido na minha opinião.

Vou começar a falar um pouco das coisas que eu curti no TEDxAmazônia (#TEDxAM) e aproveitar para inaugurar aqui no blog a seção “Boas Ideias“. O post inaugural é sobre o Demos Helsinki, um coletivo finlandês que congrega oito pensadores e que tem como objetivo criar um modelo de democracia onde a felicidade ocupa papel central na agenda dos governos. Eles lançaram em parceria com o WWF um manifesto intitulado “A Política da Felicidade” que explica um pouco da proposta (e que você pode baixar aqui em inglês).

Aqui no SlideShare vocês podem ver a palestra que eles deram no TEDxAM onde sugerem que o Brasil trabalhe para se tornar uma super potência da felicidade.

O interessante do Demos Helsinki é que eles estruturam/fundamentam o pensamento a partir de uma série de pesquisas mas dão recomendações e sugestões extremamente práticas. E que fazem muito sentido. No “The Politics of Happiness” pontuam muito fortemente que a felicidade não é um estado de espírito e sim um processo e uma construção coletiva. Falam de como eliminar os muros que separam as pessoas (em espaços públicos, salas de aula) e de como motivá-las a cultivar sua própria felicidade (e a do outro).  E entre as suas propostas estão a criação de um fundo nacional de tempo que daria feriado àqueles que doassem trabalho cívico, a busca do design criativo de espaços públicos, a priorização do trabalho coletivo na educação, a não circulação de carros em áreas em que circulam crianças, entre outros.

Quem gostar do assunto pode se aprofundar também inclusive em algumas leituras e nas discussões que já rolam no Brasil. Uma que me parece interessante é a do FIB (Felicidade Interna Bruta), um experimento que aconteceu no Butão nos anos 70 e que vem sendo expandido para outros países, entre eles o nosso (leia aqui e aqui). E uma iniciativa que acho que vale olhar é a do IRBEM, aqui em São Paulo. No documento do Demos Helsinki com o WWF tem uma série de referências internacionais bacanas e que valem a pena nas páginas 26 e 27.

Olhando o que temos hoje diria que ainda tem um longo caminho pela frente mas talvez hajam atalhos. Sempre é um bom dia para começar e transformar.